Cravo e Canela

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

quando você pensa que tudo acabou...



Certa vez conversando com uma amiga que encontrei naqueles grupos de ajuda, nos deparamos com um vocabulário médico e no final da conversa começamos a rir. 
Quando eu decidi estudar um pouco a doença que me rodeava ficava horas a fio nessa internet para selecionar o que era lixo e o que não era. Sempre tirei minhas dúvidas com os meus amigos médicos e os médicos que já tinham virado amigos. Nesse ínterim, várias outros casos apareceram. Não sei se aparecem porque se está vivendo. E eu ficava aprendendo a decifrar cada palavra daqueles laudos e biopsias, até que derrepente meu pai ficou doente. A princípio era apenas uma hérnia, fez a cirurgia e não conseguia sair do hospital. Lembro que olhei pra ele e achei que poderia ser C.A. e quando falei, o povo logo caiu em cima de mim achando que eu só via isso 24hrs do dia. Bom, depois de vários exames conseguiram diagnosticar um nódulo no ângulo esplênico do intestino grosso. Da mesa de exame direto pro centro cirúrgico. Cirurgia foi excelente e vinha de novo o drama da biopsia. É a pior parte na minha opinião. Esperar o que já se sabe, mas que se têm esperança que seja um grau curável. Minha mãe escolheu a mim para dar a notícia. Fui tranquila, acho que eu era mesmo a melhor pessoa para falar sobre câncer. Tentei tirar o foco do que ele via com o meu marido e explicar que se tivesse "infelizmente ou felizmente" que optar já que ele estava ali dentro de mim, escolheria o que ele tinha. Acho que nesse momento ele sentiu uma segurança e foi confiante para a QT.

Durante o tratamento do meu pai perdi várias pessoas amigas e meu marido, mas meu pai estava bem e reagindo bravamente a quimioterapia. Eu dava graça todos os dias, pois quando você vive isso e não vence aparece um bloqueio, pelo menos comigo tem sido assim. Eu não consigo ler muita coisa, não consigo pesquisar. Não consigo ir em hospital. Não consigo falar muito sobre doenças em geral. Meu pai fez um exame de controle mês passado. Mamãe queria que eu fosse com ele pegar o laudo e falar com o médico, mas eu adoeci [ acho que é pânico], então não deu, mas passei lá e li o laudo, anotei algumas coisas e fiquei aqui sem saber por onde começar.Apareceu dois nódulos milimétricos em uma região que eu tenho pavor [pulmão]. Peguei algumas coisas que tinha já guardadas da época do pai de amigo e pronto. Ela liga querendo saber de tudo como se eu fosse médica[rsrs].  Eu disse que não era nada demais, mas já sabendo que daqui alguns meses ele vai ter que fazer radio. Eu vou me preparar de novo, acho que agora chegou a hora de ajudar. Não sei bem a minha reação dentro do ICC, mas uma coisa eu não perdi. EU ACREDITO QUE ELE VAI FICAR BOM.


Pai, como eu sei que o senhor não vai ver isso eu posso desabafar por aqui. EU SOU MEDROSA QUE SÓ, mas o senhor é forte. Eu tenho Fé que isso é só mais uma provação e que vai ser vencida. Eu vou vencer minha barreira por amor ao senhor e vou começar tudo de novo se for preciso. Te amo

P.s. Hoje minha mãe soube que ele terá que fazer Radioterapia. 

2 comentários:

Celina

Puxa, Gabi... quanta luta! Mas, nada que o Senhor não possa reverter de forma sobrenatural, se assim for a vontade Dele! Ele pode sim, ficar curado totalmente! Vou orar. Força, que Jesus já está lá adiante, cuidando de tudo :) Qualquer coisa, você sabe, tô por aqui... Beijinho.

Gisele Braga

Olá, vim aqui agradecer sua
visitinha no meu blog, passei um bom tempo
sem entrar, me desculpa a demora!
Obrigada pelo carinho, fico feliz pelas palavras!
Beijos e fique com Deus*