Cravo e Canela

sábado, 11 de setembro de 2010

                                           Imagem by Kelli True

 Queria muito hoje falar coisas legais, mas não vai ser possível. Derrepente bateu um medo das coisas. Medo de não conseguir. Medo de ficar doente. Medo de partir prematuramente e deixar meus filhos.Tenho medo que a morte aconteça fora da ordem lógica.
   Hoje eu estou sentindo aquela dor da alma. Dor de alma? É aquela que remédio nenhum pode sanar. Meus olhos estão pesados, minha cabeça que sempre vive a mil, hoje resolveu ficar apática. Eu estou na cova de leões e não consigo domar nem os meus, quem dirá o dos outros. Nesse ponto aparece o medo da loucura.
  Sinto que Deus não me protege do medo o que ele tenta é me encorajar a não pensar nele, mas hoje eu esqueci a lição. 
 Eu estou só, mesmo sabendo que existem algumas dezenas de pessoas lendo essas minhas palavras, mas eu estou aqui só. É estranho ser só. Eu não tenho ninguém para me proteger. Eu não tenho nenhum ombro para chorar bem muito, e que esse ombro não fale nada, apenas me deixe deitar a cabeça sobre ele.
  Isso aqui é jogo e nem sei qual a modalidade só sei que fui obrigada a criar uma pessoa que parece forte, blindada, mas se alguém tocar na minha ferida que aparentemente está sarada ela vai sangrar. Eu criei uma armadura que me preparava para qualquer batalha, no entanto esqueci que armaduras precisam ser fortes a minha é só de amargura, ressentimento, vingança, medo e tudo isso coberto com uma película de papel filme.
 Queria hoje ser um pouco Babette, aquela do filme. Babette era um pouco bruxa, feiticeira, sei lá... só lembro que  ela conseguia através dos seus pratos transformar os corações ruins das pessoas em corações puros e bacanas. E por fim eu tentaria me animar com as palavras de Habacuque com uma tradução linda de Rubem Alves:

 “Embora a seca seque  fontes e  rios
E os campos fiquem esturricados,
E o gado morra de sede e fome,
E as queimadas devorem os pastos
E os machados transformem florestas verdes em desertos áridos,
E os palácios estejam cheios de corruptos 
– A despeito disso minha alegria continuará a florir
    E farei poemas diante do Impossível"  

  Tudo isso eu estou sentindo e vou logo avisando não queira mensurar o que é, você não vai conseguir.

2 comentários:

NEM TANTO FÚTEIS

Força Gabris!

wf

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.

Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas.

Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.

Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.

Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.

Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias. força acredito em vc!!!