Cravo e Canela

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010



Loreta, a disponível

  Loreta sai, em mais um dia de busca do companheiro ideal. Aprendeu com as tias que nunca é tarde para encontrar homem. Loreta já mudou a cor, o tipo e forma do cabelo algumas vezes, como se fosse o passarinho sete-cores-da-amazônia, todo enfeitado de vida. Acha-se linda e muito simpática.
Acha-se a mulher mais interessante que conhece e, mais ainda, uma trabalhadora exemplar. Faz propaganda de si, a si e aos outros. Já leu muitas biografias, mas nunca conheceu alguém tão interessante quanto ela mesma. A única coisa que lhe falta é o companheiro ideal. O que deve ser fácil, porque, com sua beleza e inteligência, os homens acabam ficando assustados - é o que acha.
  Sempre foi muito corajosa. Nunca teve receios de lançar redes, fosse em que lagoa fosse.  Não considera inteligente essa história de que mulher deve ser recatada e se fazer de difícil. Nos tempos atuais, quem assim age fica sem ninguém. Mulher tem que se mostrar. Propaganda é a alma do negócio. Seus relatos são sempre recheados de eventos épicos - sobre algum apaixonado que quase se matou por causa dela, sobre o estonteante elogio que lhe fez algum pretendente, os verbetes que ficam e até hoje são lembrados e usados pelos os mesmos. Mas, no final da conversa, sempre dá jeito de deixar claro, claríssimo, que está disponível. Afinal, outros homens precisam ter o privilégio de conhecer uma mulher tão especial....
   Uma coisa ainda falta. Ela não assume em público, mas teme. Teme porque falta apenas um outro grupo a convencer de todas as preminentes qualidades. É o grupo dos pretendentes. Eles não chegam em profusão, aos magotes, como era de esperar. "Mas eu entendo. Os homens constumam ficar aflitos, em estupor, diante e algo que excede o normal. Os homens não sabem lidar direito com tudo quanto sou". Assim ela justifica, modestamente maravilhosa.

"Trecho do livro Mulheres de água" Gabriel Chalita


Esse livro é péssimo nem sei porque comprei e li, mas dentre vários tipos de mulheres essa é interessante. Diante da minha psicologia barata (no sentindo que não tenho pretensão nenhuma de seguir carreira) ainda existem milhares de mulheres que sofrem de SFA (síndrome da falta de auto-conhecimento) acha que se conhece mas no fundo só se engana. Deve ser mais fácil viver assim, será?!

3 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê*~

O negócio é ficar esperta com "cumade" assim, viu? E ainda tem aquelas que ficam voando em território alheio. A frustração é triste e causa esse tipo de comportamento.

Beijo, minha irmã!

Rebeca

-

Wendell Rodrigues

interessante o trecho...acho q conheco algumas Loretas.

cintya

Amiga bem legal essa trecho do livro! ATUALIZAAAAAAAAAAAA
beijo