Cravo e Canela

domingo, 20 de março de 2011

Sem saco



Estou sem saco para escrever. É que ficar aqui lamentando (algumas vezes não me contenho) causa uma sensação estranha em mim.
A semana foi tranquila e engraçada. Um poste resolveu ficar no caminho e bateu no meu carro. Tive mais algumas decepções no âmbito profissional para aumentar a minha lista. Está ficando magnificente. Dei uma saidinha com uma amiga, local de sempre, e não falei nadinha. Ela não deixou. Comemorei, estou me educando. Depois fiquei cá pensando nos vários sentidos que damos a nossa vida. Não há dúvidas que o comportamento mudou, mais creio eu, que é na sociedade em geral. Uns optam pelo negativismo, outros centram no próprio umbigo ou até pensam no sofrimento alheio e se compadecem, é aí? Outros possuem tudo ali na frente, mas são míopes por opção, os que testam sua inteligência. Ainda tem aquele(a) que dá uma desculpa preocupante, já testando se vai receber o indulto pela lorota. Para que mesmo? Hum...  não posso esquecer os que estão com ausência de tiamina, então, como lembrar do outro? Está tudo muito igual né? Nada que cause espanto. É um saco!!  A vida fica complicada por pura irresponsabilidade nossa, e nesse interim dinâmico que tenho tido não possuo as ditas opções. Para ser bem sincera, nem quero! Não quero nenhum desses sentidos acima. Quero apenas paciência.

P.s.: Eve, vai em frente menina. Quem muito pensa perde o trem.

1 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez

vida... acho que é a "empresa" mais difícil de administrar no mundo... tem horas que realmente é complicado dentro ou fora da gente.

entendo sua reflexão...
bom domingo